Acesso restrito: Alunos, Pais e Funcionários

Esqueci minha senha

(11) 2076-9999

O Ensino Religioso como uma experiência de transformação

12/11/2019 08:11

Prof. Lucas Regis dos Santos

 

Existem várias formas de entender o Ensino Religioso em uma instituição de ensino. No entanto, seguindo a BNCC e uma visão fenomenológica sobre a disciplina, pautamos nosso ensino na ideia de conduzir os alunos a experenciar determinadas culturas, uma vez que estão presentes no cotidiano e, por isso, merecem o conhecimento e o consequente respeito.
 

Pensando nessa perspectiva, os alunos do Ensino Médio passaram por essas experiências das culturas religiosas de forma mais profunda. Com a 1ª Série, tivemos algumas aulas tratando sobre as religiões e a cultura indígena. Na sequência, tivemos a honra de receber uma liderança indígena de Alagoas, o Alan, da tribo Wassú Cocal. Nessa visita ele fez um pequeno ritual de agradecimento, apresentou brevemente a religião e os rituais de sua tribo e os alunos puderam tirar várias dúvidas sobre o cotidiano dos povos indígenas. Em aula posterior, os alunos foram convidados a redigir uma carta contra a morte de indígenas que estão ocorrendo por todo o país.
 

Já com a 2ª série, a experiência foi sobre as religiões Orientais. Novamente eles foram apresentados às principais religiões da região. Falamos sobre a influência, cada vez mais presente no nosso cotidiano e o diretor da Faculdade EBRAMEC, Dr. Reginaldo Carvalho da Silva Filho, veio realizar um bate-papo com os alunos sobre Medicina Chinesa e a estrutura de pensamento da filosofia Oriental baseada no Tao. Novamente os alunos puderam entender, na prática, o que estudamos em sala de aula, por meio das atividades realizadas na faculdade e que utilizam essa filosofia.
 

Na 3ª série, o tema escolhido foi: “As religiões afro-americanas”. No suporte teórico, os alunos entraram em contato com alguns dos elementos transcendentais dessas religiões. Toda a questão histórica de sua formação e um pouco da cultura africana trazida no período da escravização desses povos. Com esse suporte, convidamos o dirigente do Centro de Estudos de Umbanda: Aruanda Sagrada, o Gerson. De forma bastante descontraída realizamos uma conversa com muitas perguntas e, muito do que era tabu e preconceito, foi “desmistificado” com o conhecimento trazido pelo Gerson.

 

O Brasil é um país com alto índice de intolerância religiosa. Só em 2018 tivemos mais de 500 casos registrados pelo dique 100, fora os que não são denunciados. Infelizmente essa prática não fica só no discurso, mas se dá de forma agressiva e leva à morte, em alguns casos. Ao levarmos nossos alunos a conhecer e entrar em contato físico com os diferentes credos existentes no país, buscamos desenvolver a empatia e a capacidade de se solidarizar com o diferente. O conhecimento ético é sempre o melhor instrumento transformador, por isso nosso empenho em trabalhar com a interculturalidade junto aos que já estão fazendo parte da sociedade como verdadeiros cidadãos.

 

Galeria de Fotos - Exibindo de 10

Carregar mais fotos